sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Pelos teus mandamentos alcancei entendimento


Pelos teus mandamentos alcancei entendimento

“Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo falso caminho.” (Salmos 119:104)

Não existe nada neste mundo que tenha o poder de nos instruir como a palavra de Deus. Muitos livros ou muitas obras podem nos ser uteis com relação às coisas desta vida, mas só a palavra de Deus pode nos instruir de verdade em relação à vida eterna. Poderemos encontrar em outras fontes instrução para os mais diversos tipos de relacionamento, mas só a palavra de Deus pode nos instruir a como ter um bom relacionamento com Deus.
Ainda que muitos andem dizendo que existem várias verdades e que cada qual tem a sua própria verdade, a bíblia é a verdade de Deus e para quem o ama é esta a verdade que interessa. A palavra de Deus é a verdade capaz de nos santificar para Ele, por isto Jesus orou por nós assim: “Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.” (João 17:17). A bíblia é a única verdade capaz de nos libertar do pecado que nos aprisiona: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:32).
O salmista também menciona neste versículo um poder tremendo que a palavra de Deus tem, o poder de nos fazer aborrecer o caminho do erro. Muitos tem se destruído porque aprenderam a amar o caminho do pecado, mas felizes são os que encontraram o caminho do Senhor através da sua palavra, pois: “O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam.” (Salmos 18:30). Através da bendita palavra de Deus, temos condições de continuar sempre aborrecendo o mal e nos apegando ao bem (Romanos 12:9).

Buscando continuamente a instrução na palavra do meu Deus, para aborrecer todo caminho que não me faz bem.

Sidone Gouveia

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Os caminhos de Deus são mais altos que os nossos


Os caminhos de Deus são mais altos que os nossos

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.” (Isaías 55:8,9)

É comum não entendermos aquilo que Deus faz ou permite em nossas vidas, mas este trecho bíblico explica tudo, é que os caminhos Dele não são os nossos, os caminhos Dele são muito superiores e também os pensamentos do Senhor são maiores do que os nossos. Embora muitas vezes não entendamos o agir de Deus para conosco, o seu pensamento é sempre de paz e não de mal: “Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.” (Jeremias 29:11).
Outra característica do caminho do Senhor é que ele é estreito, e por isto, poucos são os que o encontram. Para trilhar o caminho do Senhor é necessário renuncia, é necessário abrir mão de tudo que não agrada a Ele. Mas o mais importante é que embora estreito, o caminho do Senhor é o caminho que conduz a vida: “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” (Mateus 7:13,14).
Ainda que não compreendamos perfeitamente os caminhos por onde o Senhor nos conduz, um certeza podemos ter, todas as coisas trabalham para o bem daqueles que amam a Ele: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28). E se hoje não conhecemos tudo, em breve conheceremos tal qual somos conhecidos: “Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.” (1 Coríntios 13:12).

Embora não entendendo ainda todos os caminhos que o Senhor escolhe, mas confiando sempre que Ele tem o melhor para mim.

Sidone Gouveia

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Meninos na malicia adultos no entendimento

Meninos na malicia adultos no entendimento

“Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.” (1 Coríntios 14:20)

O cristão é desafiado a ser adulto e criança ao mesmo tempo. Criança quando se tratar da malicia, nosso coração precisa ser puro como o das crianças. Adulto quando se tratar de usar o entendimento, precisamos andar com sabedoria, por isto o Senhor Jesus nos diz: “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.” (Mateus 10:16). O problema é que muitos fazem o contrario, são adultos na malicia e meninos no entendimento, isto é algo que precisamos continuamente trabalhar em nossas vidas.
A pureza moral é algo indispensável para quem quer fazer parte do reino dos céus. Então no campo da malicia, precisamos procurar cada dia mais sermos como crianças: “E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.” (Mateus 18:3). Como crianças precisamos estar sempre na inteira dependência do Pai, e desejar sempre nos alimentar de sua palavra assim como o bebê deseja o seu leite: “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;” (1 Pedro 2:2).
Já no campo do entendimento não podemos ser meninos a vida toda, precisamos cresces, nos desenvolver, acabar com as coisas de menino: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.” (1 Coríntios 13:11). Os que são meninos no entendimento estão mais suscetíveis a serem enganados, por isto precisamos amadurecer na fé: “Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.” (Efésios 4:14).

Buscando ser adulto no entendimento, mas dependendo inteiramente do Papai como uma criança livre da malicia. 

Sidone Gouveia

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

O exercício físico para pouco é proveitoso


O exercício físico para pouco é proveitoso

“Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir.” (1 Timóteo 4:8)

Dizer que o exercício físico para pouco é proveitoso em dias em que andamos tão sedentários, sem dúvida, soa muito estranho. Mas o fato é que tanto nos dias de Paulo, em que as pessoas normalmente só andavam a pé, como hoje que a maioria de nós não se move para quase nada, o exercício físico é realmente de muito pouco proveito, se comparado a piedade. Se a atividade física pode nos proporcionar uma existência de até uns cem anos com maior qualidade de vida, a piedade pode nos garantir uma vida eterna de felicidade na presença de Deus.
E embora a maior recompensa pelo exercício da piedade seja a vida eterna, ela também nos traz muitos benefícios ainda nesta vida. Por isto Paulo diz: “tendo a promessa da vida presente e da que há de vir”. Aquele que atenta para a palavra de Deus, a fim de ter uma vida piedosa, será feliz em tudo o que fizer: “Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.” (Tiago 1:25).
Na sua primeira carta aos Coríntios, Paulo fala do esforço que os atletas da atividade física fazem para alcançar os seus troféus, e ele diz que isto deve ser para nós um exemplo na nossa busca pelo troféu da piedade: “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.” (1 Coríntios 9:24,25).

Buscando o incorruptível prêmio da piedade, nesta vida, e principalmente no porvir.

Sidone Gouveia

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Remindo o tempo


Remindo o tempo

“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus.” (Efésios 5:15,16)

Se o cristão do tempo de Paulo precisava saber remir, ou seja, aproveitar o tempo, nós muito mais. Estamos vivendo em um tempo muito acelerado por conta da evolução tecnológica, os anos passam como se fossem dias, e o tempo que passa jamais poderá ser recuperado. Por isto, temos que definir claramente o que queremos fazer com o nosso tempo, o que queremos buscar, o que realmente nos fará realizados. Só a orientação da palavra de Deus pode nos fazer dirigir os nossos esforços para aquilo que nos trará a verdadeira felicidade: “Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura.” (Isaías 55:2).
Não administrar o tempo é uma atitude de quem vive de maneira louca, o cristão é orientado pela palavra para viver de maneira prudente, somos orientados a agir “não como néscios, mas como sábios”. Não podemos ficar parados, ou embaraçados com coisas totalmente sem valor, deixando a vida passar sem fazer aquilo que realmente devemos fazer. A palavra nos alerta para o fato de que depois da morte não será possível fazer aquilo que nos compete fazer nesta vida: “Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.” (Eclesiastes 9:10)
A principal razão pela qual temos de administrar bem o nosso tempo é porque “os dias são maus”. Existem inimigos espirituais combatendo contra nós, então não podemos relaxar, este mundo corrompido não é o nosso lugar de descanso: “Levantai-vos, e ide-vos, porque este não é lugar de descanso; por causa da imundícia que traz destruição, sim, destruição enorme.” (Miquéias 2:10).

Buscando aproveitar o meu tempo para viver na vontade do meu Deus, porque eu sei que ela é boa, perfeita e agradável para minha vida.

Sidone Gouveia

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

É melhor ir à casa do luto do que à casa da festa


É melhor ir à casa do luto do que à casa da festa

“Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque naquela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu oração.” (Eclesiastes 7:2)

Você prefere ir a uma festa ou a um velório? Prefere assistir uma comedia ou um drama? A grande maioria, sem dúvida, prefere as festas e os filmes de comédia, rir é muito bom, mas avaliar o sofrimento das pessoas, a fragilidade da vida, nos traz lições muito profundas. A morte é muito triste, mas a real possibilidade de a enfrentarmos nos faz lembrar que precisamos viver conforme a vontade daquele que nos criou, nos faz lembrar de agir conforme a vontade daquele a quem, depois da morte, haveremos de prestar contas.
Saber valorizar estas lições aprendidas com os acontecimentos tristes desta vida determina a nossa tolice ou a nossa sabedoria, o sábio sempre estará atento para absorver estes aprendizados: “O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos na casa da alegria.” (Eclesiastes 7:4). O sábio sempre dará mais valor ao aprendizado do que ao entretenimento: “Melhor é ouvir a repreensão do sábio, do que ouvir alguém a canção do tolo.” (Eclesiastes 7:5)
A vida é um bem muito precioso, mas precisamos mesmo ter muita sabedoria para sabermos aproveita-la ao máximo. Os que pensam que estão aproveitando a vida se entregando aos prazeres pecaminosos estão na verdade se destruindo. Só os que abrem mão destas coisas, por amor a Cristo, estão na verdade salvando ou aproveitando suas vidas: “Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará.” (Marcos 8:35).

Aplicando o meu coração às tristezas desta vida, para não me esquecer jamais, o quanto dependo do meu Criador.

Sidone Gouveia

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

A palavra de Deus é viva e eficaz


A palavra de Deus é viva e eficaz

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” (Hebreus 4:12)

A bíblia sagrada é um livro totalmente diferente dos demais livros, livros escritos a menos de um século normalmente são considerados obsoletos e ultrapassados, mas a bíblia, por ser a palavra de Deus, ainda que seja um livro milenar, continua tão atual hoje quanto no dia em que foram inspirados os seus textos. Por isto o autor sagrado diz que a palavra de Deus é viva, ela não perde o seu valor, mas será sempre apta para nos orientar quanto à vontade de Deus. Até este mundo em que vivemos terá fim, mas a palavra de Deus não: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.” (Mateus 24:35).
Além de ser eterna, a palavra de Deus também é “mais penetrante do que espada alguma de dois gumes”, assim como uma espada de dois gumes corta em duas direções, a palavra de Deus age tanto para salvar quanto para condenar o homem, dependendo da nossa decisão pessoal em relação a ela. Não existe possibilidade de o ser humano permanecer neutro em relação a palavra de Deus, se eu creio nela e a pratico serei salvo, se a rejeito serei condenado: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” (Marcos 16:15,16)
Não existe nenhuma parte do nosso ser que não possa ser alcançada pela palavra de Deus, ela penetra até no mais profundo de nós discernindo nossos pensamentos e intenções. E ainda que muitos se endureçam e mantenham congelados os seus corações, ela é como um fogo para derreter este gelo e como um martelo para quebrantar este coração petrificado: “Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o Senhor, e como um martelo que esmiúça a pedra?” (Jeremias 23:29).

Permitindo que a palavra de Deus penetre sempre no mais intimo do meu ser e coloque em ordem tudo o que está desarrumado.

Sidone Gouveia

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Se eu tão somente tocar


Se eu tão somente tocar

“Porque dizia consigo: Se eu tão-somente tocar a sua roupa, ficarei sã.” (Mateus 9:21)

Temos aqui uma atitude de muita fé, uma atitude de alguém que já há doze anos vinha sofrendo terrivelmente com uma enfermidade, que gastara todos os seus recursos sem encontrar melhora alguma para o seu mal. Aquela mulher na verdade tinha perdido os seus recursos financeiros, mas algumas coisas muito importantes ela ainda tinha: A esperança, a fé e a vontade de vencer. Ela até tinha a opção de desistir, de entregar os pontos, de jogar a toalha, mas ela entendia o principio bíblico que diz: “Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena.” (Provérbios 24:10). Na dificuldade o melhor é sempre continuar lutando, porque com Cristo sempre há esperança!
Quando esta mulher toca com fé em Jesus imediatamente é curada. Jesus pergunta: “...Quem tocou nas minhas vestes?” (Marcos 5:30). Jesus sabe de todas as coisas, Ele sabia muito bem quem havia lhe tocado, Ele sabia da intenção dela em tocar-lhe muito antes dela se aproximar, Ele estava esperando o toque dela, mas Ele precisava tornar publica a atitude de fé daquela mulher, Ele queria elogia-la pela sua fé: “...Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal.” (Marcos 5:34).
É interessante observarmos que quando Jesus se detém para falar com esta mulher Ele estava indo atender alguém muito importante, Jairo, um dos chefes da sinagoga, mesmo assim Jesus para e da sua atenção àquela pobre mulher. Para Ele todos nós temos o mesmo valor! Para Jesus não interessa a quantidade de dinheiro que temos e nem o status social que possuímos, Ele nos considera todos iguais!
Apenas um toque, foi tudo que precisou para que o sofrimento daquela mulher acabasse. E o que você está esperando? Toque, pela fé, você também agora Nele! Ele também tem vitória para você!

Tocando sempre, pela fé, em Jesus. Sabendo que Nele há virtude.

Sidone Gouveia

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Lembrando-se de agradecer


Lembrando-se de agradecer (esboço de pregação)

Tipo de sermão: temático
Texto base: (Lucas 17:11-19)

Introdução: Neste episódio dez homens que estavam doentes, com lepra, uma doença incurável na época, suplicam a Jesus pela cura. Ele exige deles uma atitude de fé, manda que eles se mostrem aos sacerdotes, este era o procedimento para quem já estava curado, mesmo sem se perceberem curados eles foram, e no caminho ficaram curados. Os dez tiveram fé, mas só um teve gratidão, porque só um voltou para render graças e glorificar a Deus, e este um era alguém discriminado pelos judeus, era um samaritano.
Vejamos algumas lições que a bíblia nos ensina sobre gratidão:

 1. Precisamos aprender a agradecer por tudo: "Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Tessalonicenses 5:18).

- Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28).
- A vontade de Deus é boa, agradável, e perfeita para nós: “...para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2).
- Precisamos aprender com o exemplo de Jó que mesmo na tragédia adorou ao Senhor: “Então Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou. E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.” (Jó 1:20,21).

2. Precisamos ter uma constante atitude de gratidão: "E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.” (Colossenses 3:15).

- A gratidão precisa partir da nossa alma: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios.” (Salmos 103:2).
- Ao invés de atitudes impuras o que deve haver em nós é ações de graças: “Mas a fornicação, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos; Nem torpezas, nem parvoíces, nem chocarrices, que não convêm; mas antes, ações de graças.” (Efésios 5:3,4).

3. Devemos estar frequentemente na casa do Senhor para render-lhe gratidão: “Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.” (Salmos 100:4).

- Devemos seguir o exemplo do Rei Josafá e do seu povo: “Então voltaram todos os homens de Judá e de Jerusalém, e Jeosafá à frente deles, e tornaram a Jerusalém com alegria; porque o Senhor os alegrara sobre os seus inimigos. E vieram a Jerusalém com saltérios, com harpas e com trombetas, para a casa do Senhor.” (2 Crônicas 20:27,28)
- A melhor forma de demonstrarmos a nossa gratidão a Deus é não recusando a sua salvação: “Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do Senhor.” (Salmos 116:12-13).

Conclusão: Embora a ingratidão seja um mal que assola a espécie humana, devemos tomar a firme decisão de sermos pessoas gratas ao Senhor por tudo, até por aquilo que por hora não nos parece bom, precisamos confiar inteiramente que Ele está fazendo o melhor por nós!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Três passos para aquele que deseja andar com Jesus

Três passos para aquele que deseja andar com Jesus (esboço de pregação)

Tipo de sermão: textual
Texto base: (Marcos 8:34)

Introdução: Deus sempre desejou que os seus servos andem na sua presença (Gênesis 17:1). O Senhor Jesus chamou os seus discípulos a deixarem tudo e andarem com Ele. E a bíblia nos diz que quem recebeu ao Senhor Jesus deve andar Nele (Colossenses 2:6).
O texto que tomamos como base nos apresenta três passos que são necessários para aquele que deseja atender ao chamado de Jesus para andar com Ele:

 1. Negar-se a si mesmo (auto renuncia): "negue-se a si mesmo".

- O mínimo que podemos fazer por aquele que se fez homem para morrer por nós é dar a nossa vida a Ele (2 Coríntios 5.15).
- Somos chamados a nos oferecer em sacrifício vivo (Romanos 12.1).
- O caminho do reino de Deus será sempre o caminho estreito (Mateus 7.13-14).
- Aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas aquele que negar-se a si mesmo por amor de Cristo a salvará (Marcos 8:35).

2. Tomar a cruz: "e tome a sua cruz” .

- Por muitas tribulações nos importa entra no reino de Deus (Atos 14.22).
- As tribulações também nos produzirão coroa (2 Coríntios 4.17).
- As aflições que nós temos enfrentado não se comparam com a glória que nos está reservada (Romanos 8.18).

3. Seguir os seus passos: “e siga-me”.

- Para seguir a Jesus é necessário andar nos caminhos Dele e não nos nossos (Atos 7:3).
- Seguir a Jesus implica não se deter no caminho dos pecadores (Salmos 1).
- Andar com Jesus é andar na luz, assim como Ele na luz está (1 João 1.7).


Conclusão: Se estivermos dispostos a negarmos a nós mesmo, a carregarmos com fé a nossa cruz seguindo sempre a cada passo do Senhor Jesus, seremos também coroados juntamente com Ele, com a glória com que Ele foi coroado pelo Pai.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Alegrai-vos na esperança


Alegrai-vos na esperança

“Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;” (Romanos 12:12)

Aqui o Espírito Santo nos fala através de Paulo, de uma fonte de alegria, de gozo e de regozijo que é exclusiva para aqueles que andam com Deus. Nós podemos nos alegrar na simples esperança de receber aquilo que Deus está reservando para nós, sabendo que fiel é aquele que nos prometeu. Por isto o próprio Paulo declarava que estava cheio de gozo, mesmo em meio às tribulações: “... estou cheio de consolação; transbordo de gozo em todas as nossas tribulações.” (2 Coríntios 7:4). E constantemente ele ensinava os crentes a se gloriar na esperança da glória que em breve desfrutaremos da parte do Pai: “Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.” (Romanos 5:2).
O Senhor Jesus também ensinava a seus discípulos que a nossa alegria não pode estar nas coisas desta terra, nem mesmo em coisas nobres como expulsar demônios, mas a nossa alegria tem de estar sempre nas coisas do céu: “Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.” (Lucas 10:20).
Já no antigo testamento vemos que os que tinham intimidade com Deus agiam assim, não tinham nas circunstâncias externas o motivo da sua alegria, mas ainda que tudo estivesse indo mal, eles se alegravam no Senhor: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação.” (Habacuque 3:17,18). E Paulo também não se cansava de ensinar a mesma coisa para os crentes do novo testamento: “Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós.” (Filipenses 3:1).

Ainda que as coisas não andem muito bem, não ficaremos tristes, a nossa alegria está no Senhor.

Sidone Gouveia

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Diferente de Tomé


Diferente de Tomé

“Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.” (João 20:29)

Tomé era um dos doze apóstolos, andou com Jesus, viu as maravilhas que Ele realizou, ouviu da boca de Jesus que Ele precisaria morrer, mas que a morte não poderia conte-lo. Quando Jesus aparece primeiramente aos discípulos reunidos Tomé não estava, tinha faltado ao culto, quando os outros discípulos lhe contam que viram o Senhor ressurreto, Tomé responde: “...Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o meu dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.” (João 20:25). Tomé havia se tornado incrédulo.
Não muito tempo depois, apenas oito dias, eles estavam reunidos novamente, desta vez Tomé estava, a reunião era a portas fechadas, eles estavam com medo dos judeus, então Jesus aparece e os saúda: “Paz seja convosco”. Logo em seguida a saudação, se dirige a Tomé: “...Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.” Depois disto Tomé faz uma declaração tremenda: “Senhor meu, e Deus meu!” (João 20:26-28). Felizmente Tomé conseguiu se redimir, mas Jesus declara que bem aventurados mesmo são aqueles que agem de maneira diferente da atitude de Tomé, bem aventurados são os que creem mesmo sem ter visto!
Desta maneira, somos chamados a agir sempre diferente de Tomé, somos chamados a agir com fé, sem ela jamais agradaremos ao Senhor: “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” (Hebreus 11:6). É pela fé que Ele espera que vivamos: “Mas o justo viverá pela fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.” (Hebreus 10:38). E o autor bíblico diz que é assim que nós vamos viver, porque afinal de contas, nós não somos dos que desistem da fé para serem condenados, mas nós somos dos que permanecem crendo para serem salvos: “Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.” (Hebreus 10:39).

Seguindo andando por fé e não por vista, assim serei bem-aventurado!

Sidone Gouveia

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

A sensualidade e o vinho tiram o entendimento


A sensualidade e o vinho tiram o entendimento

“A luxúria, e o vinho, e o mosto tiram o coração.” (Oséias 4:11)

O profeta Oséias escreveu este trecho bíblico em uma época de apostasia do povo de Deus, época em que o povo estava sendo destruído por falta de conhecimento da Palavra do Senhor: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento...” (Oséias 4:6). E esta falta de conhecimento da Palavra estava sendo causada pela carnalidade em que Israel estava vivendo, o povo estava seduzido pelos prazeres da sensualidade e do vinho o que lhes “tirou o coração”, ou seja, lhes tirou todo o entendimento.
Assim como o álcool altera o nosso sentido, não nos permitindo raciocinar com clareza, a sensualidade também produz em nós o mesmo efeito, nos tira a razão e nos faz agir inconsequentemente. A vontade de satisfazer a carne anula o nosso bom senso e nos deixa propensos a cometer coisas das quais certamente nos arrependeremos depois. Por isto o conselho que a bíblia nos dá é: “Fugi da prostituição...” (1 Coríntios 6:18). A única forma de vencer um inimigo tão poderoso e tão destrutivo é fugindo.
Mas quais são os lugares de refugio nos quais poderemos nos abrigar fugindo da prostituição? A bíblia felizmente nos aponta alguns:
- A sexualidade exercida dentro da vontade de Deus (no casamento): “Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.” (1 Coríntios 7:9). E aos casados Paulo manda: “Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.” (1 Coríntios 7:5).
- A busca das coisas espirituais: “Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.” (Gálatas 5:16). Se estivermos ocupados buscando as coisas do Espírito não teremos tempo para as coisas da carne. Quando mais perto das coisas espirituais estivermos, mais longe do pecado também vamos ficar!

Buscando me abrigar nos lugares de refugio que o Senhor preparou para mim. Para que eu possa, em todo tempo, fugir do pecado. 

Sidone Gouveia

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Escudo para os que Nele confiam


Escudo para os que Nele confiam

“Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele.” (Provérbios 30:5)

Neste mundo hostil, em que nos sobrevêm ataques de todos os lados, podemos contar com um precioso escudo, este escudo está disponível para todos aqueles que confiam no Senhor, este escudo é a sua santa e pura Palavra.
A Palavra de Deus é o nosso porto seguro nesta vida difícil, é a única luz que pode clarear o nosso caminho para que possamos ver para onde estamos indo: “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.” (Salmos 119:105).
Além de ser extremamente indispensável para nos conduzir a vida eterna, a Palavra do nosso Deus é totalmente útil para nos tornar pessoas melhores, para moldar o nosso caráter: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” (2 Timóteo 3:16,17).
A Palavra de Deus também é o único antidoto que pode nos vacinar contra o pecado, o pecado que compromete o nosso relacionamento com o Criador, só enchendo o nosso coração da Palavra podemos nos prevenir contra o pecado: “Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Salmos 119:11).
Buscar a Palavra de Deus não é uma opção, é uma imensa necessidade, assim como precisamos de alimento físico para que o nosso corpo permaneça vivo, para estarmos vivos espiritualmente temos que nos alimentar da Palavra: “...Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.” (Mateus 4:4).
Andar neste mundo sem a Palavra de Deus é pior do ir trabalhar sem levar a ferramenta, é pior do ir para a escola e esquecer o material, é pior do que ir a um aniversário e esquecer o presente. Não dá para viver sem beber da fonte pura da Palavra!

Abrigando-me Senhor, atrás deste intransponível escudo, que é a tua bendita Palavra. 

Sidone Gouveia

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

O crente e a super sinceridade


O crente e a super sinceridade

“Então disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche um chifre de azeite, e vem, enviar-te-ei a Jessé o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.
Porém disse Samuel: Como irei eu? pois, ouvindo-o Saul, me matará. Então disse o Senhor: Toma uma bezerra das vacas em tuas mãos, e dize: Vim para sacrificar ao Senhor.” (1 Samuel 16:1,2)

É verdade que em vários textos a bíblia nos exorta a não mentir, e nos adverte inclusive que o diabo é o pai da mentira, portanto, quem mente também se torna seu filho. A bíblia diz ainda, que ficará fora da nova Jerusalém, a cidade que está sendo preparada para os salvos, “todo aquele que ama e pratica a mentira” (Apocalipse 22:15). No entanto, a quem pense que por não poder mentir precisamos agir como super sinceros e dizer coisas que não deveríamos falar. Coisas que poderão ferir a quem ouve, ou que trarão consequências para outros, ou até para nós mesmos.
No texto acima vemos que o Senhor instruiu a Samuel a dizer uma verdade diferente daquela que lhe colocaria em risco. Samuel iria sacrificar ao Senhor? Sim! Mas também iria ungir a Davi como rei de Israel, só que isto Saul não precisava saber.
Precisamos ser prudentes ao falar porque podemos nos destruir pelas nossas palavras, o proverbio popular diz que “peixe morre pela boca” e a bíblia diz: “O que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas o que abre muito os seus lábios se destrói.” (Provérbios 13:3).
O servo de Deus não pode ser precipitado ao falar, precisa meditar muito bem nas suas respostas: “O coração do justo medita no que há de responder, mas a boca dos ímpios jorra coisas más.” (Provérbios 15:28).
As palavras do cristão precisam promover edificação: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.” (Efésios 4:29)
Busquemos sabedoria em Deus para sempre usar bem as nossas palavras.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Deixando a cultura do mundo e aderindo a cultura do reino.


Estudo bíblico em forma de esboço
Tema: Deixando a cultura do mundo e aderindo a cultura do reino.
Texto base: (Efésios 4:17-32)

Introdução: Quando aceitamos a Cristo recebemos a salvação pela sua graça. Porém, ainda estamos adaptados a cultura do mundo, precisamos então abandonar esta cultura e aderir a cultura do reino de Deus. Por isso Paulo diz: “para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente.” (v.17). Precisamos agora então nos despojar do velho homem (v.22) e nos revestir do novo, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade (v.24). Vejamos algumas atitudes que Paulo diz que devemos agora ter:


1- Deixar a mentira e falar a verdade (v.25)
- O diabo é o pai da mentira: “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” (João 8:44)
- Os que praticam a mentira ficarão fora da cidade santa: “Mas, ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.” (Apocalipse 22:15)

2. Irar sem pecar (v.26)
- Devemos saber acalmar o nosso coração: “Perturbai-vos e não pequeis; falai com o vosso coração sobre a vossa cama, e calai-vos.” (Salmos 4:4)
- Os mansos herdarão a terra: “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;” (Mateus 5:5)

3. Não dar lugar ao diabo (v.27)
- Deixando de perdoar é uma forma que se pode dar lugar ao diabo: “E a quem perdoardes alguma coisa, também eu; porque, o que eu também perdoei, se é que tenho perdoado, por amor de vós o fiz na presença de Cristo; para que não sejamos vencidos por Satanás; Porque não ignoramos os seus ardís.” (2 Coríntios 2:10,11)
- Devemos resistir ao diabo: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.” (1 Pedro 5:8,9)
“Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” (Tiago 4:7)

4. Não furtar, ganhar nosso dinheiro de forma digna e ajudar o necessitado (v.28)
- Procedendo assim somos bem-aventurados: “Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.” (Atos 20:35)
- O cristão deve buscar uma vida honesta e sossegada: “E procureis viver quietos, e tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, como já vo-lo temos mandado; Para que andeis honestamente para com os que estão de fora, e não necessiteis de coisa alguma.” (1 Tessalonicenses 4:11,12)

5. Abandonar o palavreado torpe (v.29)
- Da nossa boca só podem sair palavras abençoadoras: “De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim. Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa?” (Tiago 3:10,11)
- Seremos julgados pelas nossas palavras: “O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más. Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo. Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.” (Mateus 12:35-37)

6. Abandonar toda malicia (v.31b)
- Precisamos ser como crianças na malicia: “Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.” (1 Coríntios 14:20)
- Se não formos crianças na malicia não poderemos nos salvar: “E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.” (Mateus 18:3)

7. Sermos benignos, misericordiosos e perdoadores (v32)
- Benignidade, misericórdia e perdão devem ser as nossas vestes: “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.” (Colossenses 3:12,13)
- Nossas ofertas a Deus só serão aceitas se buscarmos a paz com todos: “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta.” (Mateus 5:23,24)

Conclusão: Paulo não esgota aqui a lista de tudo que devemos fazer para deixar a cultura do mundo e aderir a cultura do reino de Deus, a bíblia em outros textos nos instrui a respeito de muitas outras coisas que precisamos observar. No entanto no (v.30) temos o resumo perfeito de como agir como um cidadão do reino de Deus, não entristecendo o Espirito Santo: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.”.