domingo, 16 de outubro de 2011

O que era lucro virou lixo


O que era lucro virou lixo

 “Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.
E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo,” (Filipenses 3:7-8).

O que você mais deseja nesta vida? O que você mais valoriza entre aquilo que você possui? Quais são os seus sonhos? Quais são as suas metas para o próximo ano? Ou para os próximos cinco anos? O que você realmente considera valioso para você?
Todos nós temos nossos tesouros, as coisas das quais nos orgulhamos, todos nós também temos sonhos, objetivos e coisas que almejamos.
Paulo não era diferente, este jovem judeu, doutor da lei mosaica, tinha a sua lista de coisas que considerava valiosas, e certamente, outra lista de coisas que ainda pretendia alcançar.
É provável que Paulo se orgulhasse muito de ser tanto judeu, quanto cidadão romano; de ter sido muito bem instruído na lei mosaica, aos pés do mestre Gamaliel; de ser um zeloso perseguidor daqueles que ensinavam algo que ele acreditava não ser a verdadeira lei do Deus de Israel. É provável, ainda, que ele tivesse muitos sonhos baseados nestes valores que ele considerava. Quem sabe ser um grande mestre em Israel, como Gamaliel, se tornar um integrante do sinédrio, ou outras coisas deste tipo.
Mas o fato é que um dia os seus sonhos mudaram, e também os seus valores.
Como isto aconteceu?
Através de um encontro. Em uma viagem que Paulo fazia a Damasco, com o objetivo de perseguir alguns cristãos, ele se encontrou com o Senhor daqueles a quem ele perseguia. De repente no caminho, uma luz muito forte apareceu, Paulo cai, e então uma voz lhe pergunta: Saulo, Saulo, por que me persegues?  Este encontro mudou completamente a sua historia, mudou o seu jeito de ver e de viver a vida, e foi por isso que ele escreveu o texto em que nós estamos meditando.
A visão que Paulo adquiriu após o encontro com o salvador o fez mudar os seus parâmetros de avaliação das coisas. Tanto que aquilo que antes era vantagem, ganho, lucro se transformou simplesmente em “escória”, ou seja, lixo. E tudo isso por um único motivo, mas um motivo muito forte, que ele mesmo explica: “para que possa ganhar a Cristo”.
Para ganhar a Cristo existe um preço, um preço que pode ser considerado alto: “Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;” (Mateus 16:24). O preço é simplesmente renunciar-se a si próprio. Um preço alto? Certamente. Porém, não um preço penoso. Não quando se é para ganhar a Cristo Jesus, o maior tesouro que um homem pode ter. Neste caso, as outras coisas que poderíamos ter sem ele, perdem totalmente o seu valor: “tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor”.
Você não se lembra da parábola do tesouro escondido? Quando o homem encontra realmente o tesouro do Reino dos céus ele corre para vender tudo quanto tem, a fim de possuir este tesouro. Mas o mais interessante, é que isto não é feito com pesar ou com tristeza, o que entende o valor do Reino, despoja-se de tudo pela alegria, pelo gozo dele!

Reputando por lixo as coisas velhas, não com pesar, mas com alegria, por causa da grandeza do conhecimento do meu Salvador.
Sidone Gouveia

Nenhum comentário:

Postar um comentário