terça-feira, 18 de setembro de 2012

Tomando a cruz e seguindo a Jesus


Tomando a cruz e seguindo a Jesus
      
“Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;” (Mateus 16:24)

Repetidas vezes os evangelistas registraram a condição que o Senhor Jesus impõe àqueles que desejam segui-lo: levar, por amor a ele, a sua própria cruz, assim como Ele nos amou e levou primeiramente a dele por nós.
Uma das passagens que registra esta condição nós encontramos em Lucas 14:27 que diz: “E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.” Muitos hoje, impulsionados pelas pregações da chamada teologia da prosperidade, querem ser discípulos de Jesus para desfrutar das suas bênçãos, mas desconhecem que para segui-lo exista esta condição, a de se tomar sobre si a cruz.
Note que o Senhor Jesus não impõe a ninguém a obrigação de segui-lo, Ele diz: “Se alguém quiser vir após mim”. É preciso que seja um ato totalmente voluntario, pois segui-lo implica em levar a cruz, e isto só pode ser feito por amor.
Tomar a cruz não é fácil, pois exige completa renuncia: “renuncie-se a si mesmo”. É preciso estar disposto a morrer para nós mesmos para que Cristo possa viver em nós. Paulo entendeu e viveu esta verdade: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gálatas 2:20).
A necessidade de se levar a cruz, era também a mensagem que Paulo pregava nas igrejas que havia fundado: “...pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.” (Atos 14:22). Um evangelho que só fala de benefícios pode parecer interessante, mas não é real e muito menos verdadeiro.
Normalmente nós imaginamos que é injusto que Deus permita que soframos, aparentemente os filhos do Rei deveriam portar tesouros, coisas excelentes, e não cruzes. Mas o sentimento que a bíblia diz que precisamos ter para entender e aceitar esta realidade é o mesmo que houve no Senhor Jesus. Ele suportou sofrimento terríveis nesta terra, e com um importante detalhe, ele não era uma criatura formada, um simples ser humano. Mas um ser divino que deixou a sua gloria com o Pai para sofrer tudo isto por nós: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.” (Filipenses 2:5-8).
É somente olhando firmemente para o exemplo de Jesus que poderemos levar a nossa cruz até o fim da nossa carreira e nos assentar a sua direita, assim como ele, após vencer, se assentou a direita do Pai: “...corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.” (Hebreus 12:1-2).

Tomando diariamente a minha cruz, seguindo a Jesus sem tirar meus olhos dele.

Sidone Gouveia

4 comentários:

  1. INFELIZMENTE MUITAS IGREJAS PRECISAM TOMAR POSSE DESTA MENSAGEM...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por participar irmão Jairo! Deus lhe abençoe!

      Excluir
  2. ótima palavra, que Deus o abençoe Sidone!

    ResponderExcluir